Datacenter, um mercado que não para de crescer – Infraestrutura

Todo sucesso do seu projeto de datacenter começa na qualidade da sua infraestrutura.

Hoje falaremos sobre infraestrutura de um datacenter; você sabe quais são os aspectos mais importantes relacionados a Infraestrutura? Sabe quais são os itens indispensáveis para um datacenter eficaz e quais são os grandes vilões?

A construção e a demanda por novos datacenters está em franca ascensão, a previsão é de investimentos globais na casa de 200 bilhões de dólares somente em 2021, representando um aumento de 6% em relação a 2020.  A pandemia do novo coronavírus acelerou essa demanda com o aumento exponencial em conteúdos “cloud”, essa transformação digital em diversos processos estimulou um mercado já muito aquecido.

Quando pensamos na construção de um novo datacenter, devemos pensar em uma série de fatores para que este tenha alta disponibilidade, eficiência e segurança, pois invariavelmente serão datacenters de missão crítica, ou seja, devem permanecer ligados e conectados com a rede 24h por dia, 7 dias por semana sob pena de prejuízos financeiros enormes as suas companhias caso falhem.

Fatores como infraestrutura local de fornecimento de energia, conectividade e localização geográfica são geralmente os aspectos mais importantes na decisão de se construir um datacenter em um local A ou em um local B.

A redundância é necessária para prevenir caso algum dos fatores críticos falhe em um cenário como esse, fornecimento ininterrupto de energia elétrica com UPS de alta capacidade e geradores em casos de apagões, dois ou três links paralelos e independentes de rede com alta capacidade de transmissão, sistema de refrigeração dinâmico de precisão, sensores de temperatura e de incêndio são outros fatores indispensáveis quando se tem um datacenter de missão crítica.

Entretanto, o maior desafio é a eficiência enérgica! O Brasil tem hoje o maior custo por kW consumido entre os países da América do Sul e buscar essa eficiência significa economia de milhões de reais no longo prazo. A cada 1 Watt hoje processado por um datacenter são necessários 2,84 Watts de suporte para esse processamento e o principal vilão nessa equação é a refrigeração. Manter o datacenter com a temperatura controlada é um desafio e tem um custo, o aquecimento das máquinas gerado pelo processamento se não controlado, pode ir de apenas uma perda na eficiência como pode resultar em casos mais graves em incêndios.

Um fator hoje muito usual é o PUE – Potencia Usada Efetivamente, nele você consegue ter de forma rápida um diagnóstico de como está a saúde e a efetividade do seu datacenter. Esse fator é encontrado dividindo a energia total consumida pelo consumo dos equipamentos de TI, em média esse fator gira em torno de 1,8 a 1,9 sendo um datacenter mais eficaz quando se tem esse fator o mais próximo de 1.

Como dito anteriormente, a refrigeração é o principal vilão nessa equação, buscar formas de otimizar a troca de calor é onde se chegará aos resultados esperados em termos de eficiência. Regiões com temperaturas médias baixas permite o uso de refrigeração “free cooling”, permitindo a troca de calor exterior com a interior, evitando assim o uso dos compressores, projetos termodinâmicos com pisos elevados, corredores quentes e corredores frios, racks de alta ventilação e até painéis cegos para racks evitando curto circuitos de ar fazem a total diferença quando se busca eficiência em refrigeração e consequente eficiência energética.

Confira abaixo os produtos que a SOB Brasil selecionou que podem lhe auxiliar no projeto de eficiência energética e construção de um datacenter de alta disponibilidade.

 

Confira aqui alguns produtos da SOB Brasil para o segmento.

Send this to a friend